GINSENG, bom para fadiga e desempenho mental!

Texto Adaptado por Vinícius Graton


O ginseng se caracteriza como uma erva amarelada muito semelhante ao rabanete. É uma erva de crescimento lento, podendo levar até 6 anos de cultivo para produzir um produto comerciável.

Existem diversas variedades do ginseng, mas aqui neste artigo iremos descrever mais especificamente sobre o Panax ginseng, também chamada de ginseng coreano, chinês ou asiático, e é a forma que foi mais extensamente pesquisada.

As cores do ginseng indicam como a erva foi processada, logo, observe bem sua coloração. Vai aqui nossas dicas quando for adquirir seu ginseng:
  • Ginseng Branco é a raiz seca.
  • Ginseng vermelho significa que a raiz do ginseng foi esterilizada e preservada mediante tratamento no caule – daí a sua cor vermelha.
As duas variedades não apresentam diferenças químicas significantes, simplesmente uma variação de cor.

O nome Panax
Da palavra grega que significa “cura tudo”, implica os muitos usos sugeridos para o ginseng, inclusive as ações antifadiga e antiestresse, melhoras no desempenho mental, intensificação do sistema imunológico e terapia de suporte para diabetes.


Nos EUA, o ginseng é com freqüência usado para combater o estresse; melhorar os níveis de energia; aumentar a circulação; tratar a fadiga e a capacidade de trabalho diminuída e aumentar o estado de alerta, concentração e a capacidade de compreender conceitos abstratos.

Contra-Indicações, Efeitos Colaterais e Toxicidade
O ginseng asiático e o americano são classificados como botânicos de Classe 2d e são contra-indicados em pessoas com hipertensão (McGuffin e cols., 1997).
O ginseng é geralmente considerado seguro na dosagem recomendada de 100mg de uma preparação de 4 a 7% de ginsenosídeos usada uma ou duas vezes por dia. O uso cíclico de ginseng em intervalos de 2 a 3 semanas com períodos de descanso de 1 a 2 semanas é aconselhado.


Efeitos Colaterais
Os efeitos colaterais do ginseng relatados incluem a estimulação excessiva e possível insônia, que podem diminuir após o uso contínuo ou redução da dosagem; todavia, o consumo de ginseng com cafeína pode causar estimulação excessiva e desconforto gastrointestinal.

Cuidado: Nenhum dado de segurança a longo prazo está disponível com relação ao uso de ginseng durante a gravidez, lactação ou infância. Portanto, o ginseng não é recomendado para uso durante esses estágios da vida.


Mecanismos de Ação e Constituintes Ativos
As espécies de ginseng diferem em sua composição e mecanismos de ação. O Panax ginseng é o mais complexo, com múltiplos ginsenosídeos, que são compostos semelhantes a esteróides conhecidos como glicosídeos saponina. Em razão da interação dos ginsenosídeos, encontrados na raiz da planta e são encontrados em pequenas quantidades, a raiz inteira é usada nas preparações herbais. A interação dos ginsenosídeos é evidenciada pelas ações de ginsenosídeos Rb1 e Rg1, que exercem influencias diferentes, porém harmonizantes no corpo.

O Rb1 possui um efeito hipoativo sobre a pressão sanguínea e efeito levemente sedativo, enquanto acredita-se que o Rg1 exerça uma ação levemente estimulatória sobre o sistema nervoso central.

O efeito adaptogênico do ginseng não foi documentado em seres humanos em termos de estudos científicos, porém, ele possui uma longa história de uso tradicional, com sucesso aparente. Muitas das investigações sobre a capacidade do ginseng melhorar os desempenhos físico e mental ou combater a fadiga física ou mental foram realizadas em estudos em animais ou laboratoriais.

Diabetes Tipo 2
O ginseng pode ser benéfico para as pessoas com diabetes Tipo2. Um estudo mostrou níveis de glicose sanguínea em jejum reduzidos e melhoras na hemoglobina glicosada (HbA1C) em pessoas com diabetes que receberam doses de 200mg de ginseng asiático (Sotaniemi e cols., 1995).

A combinação de ginseng e konjac-manana (glucomanana), que forma um gel viscoso no trato digestivo e parece trabalhar por meio de um mecanismo diferente do ginseng, parece promissora para melhorar o controle de açúcar no sangue no diabetes Tipo 2 (Vuksan, 2001).

Em um estudo piloto que examinou a capacidade de Panax ginseng suportar o débito de desempenho físico máximo em voluntários saudáveis, não mostrou benefício pelo ginseng (Engels e cols., 2001). Contudo, a intensificação do sistema imunológico pode ser um benefício de uso consistente (por 8 semanas). Os voluntários saudáveis que receberam 100mg de um extrato padronizado de ginseng em um estudo clínico mostraram aumento natural da atividade celular exterminadora, produção de interferon e atividade de macrófagos intensificadas (Scaglione e cols., 1990).

Interações adversas Potenciais
Como um adptógeno, o ginseng poderia intensificar ou reduzir potencialmente a eficácia de uma série de medicações e suplementos diabéticos. Deve-se ter cuidado especial com os agentes que afetam o açúcar do sangue ou a regulação da pressão sanguínea, os que atuam como estimulantes, interferem na coagulação sanguínea ou afetam a freqüência cardíaca.


  • 0 comentários